Não consegui pagar o plano de saúde em dia. E agora?

384
Pagar o Plano de Saúde

Numa época em que o Brasil atravessa uma séria crise econômica, aumenta o número de pessoas que não conseguem terminar o mês com as despesas em dia. E, numa situação em que o pagamento de algumas mensalidades acaba atrasando – o que, de certa forma, é até esperado –, uma das contas que mais deixam os consumidores apreensivos em caso de não pagar o plano de saúde, devido ao risco de se precisar de atendimento médico durante o período em que a dívida ainda não foi quitada.

Quem contrata um plano de saúde o faz como precaução quanto a possíveis gastos com consultas médicas ou exames que, de outra forma, custariam bem mais caro e/ou levariam mais tempo. O grande receio é que, na hora da emergência, esses serviços sejam negados. A questão é: sob quais condições as operadoras podem agir dessa forma?

Podem negar atendimento se eu não pagar o plano de saúde em dia?

De acordo com as normas estabelecidas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), agência reguladora relacionada ao Ministério da Saúde, as operadoras têm, sim, o direito de recusar atendimento quando há inadimplência no pagamento do plano de saúde. Contudo, no que diz respeito a contratos individuais – em que o usuário do plano é uma pessoa física –, esse direito só pode ser exercido se o atraso nas mensalidades for superior a 60 dias consecutivos ou não, nos últimos 12 meses de vigência do plano. Nesse caso, a empresa tem a obrigação de notificar o beneficiário até o 50º dia, sendo, ainda, informado das consequências da não realização do pagamento dentro do prazo. Tomadas essas medidas, caso o cliente não resolva a situação nesses dez dias, o contrato entre as partes pode ser suspenso ou rescindido unilateralmente.

Ainda conforme a ANS, se a operadora cancelar o contrato sem que o cliente seja comprovadamente avisado, estará cometendo uma prática ilegal e abusiva, sendo passível de penalidade. Da mesma forma, se o atendimento for negado antes de se completarem os 60 dias de atraso, também há risco de punição. Para tanto, o paciente deve registrar um protocolo de atendimento junto à operadora e, em seguida, encaminhar sua reclamação para a ANS. A multa pode chegar à casa dos R$ 100 mil, e o cliente ainda pode pedir ressarcimento caso tenha pago para ter o atendimento recusado.

Por outro lado, a maior parte dos planos de saúde no Brasil são coletivos, ou seja, firmados entre a operadora e uma pessoa jurídica, e o mesmo não se aplica a eles. Em outras palavras, se houver inadimplência, a operadora não precisa aguardar os 60 dias antes de suspender o serviço. As normas dizem que, para essas situações, prevalecerá o que está em contrato, portanto é recomendável consultá-lo e manter-se informado sobre o prazo limite para possíveis atrasos.

O índice de inadimplência em planos de saúde é de cerca de 5%, mas representa boa parcela das razões para cancelamento de contratos. É sempre bom evitar atrasos na hora de pagar o plano de saúde, mas, de qualquer maneira, é importante ter conhecimento dessas informações, sobretudo se acontecerem imprevistos, para que seus direitos se façam valer.

Ainda com dúvidas sobre planos de saúde?

Tire suas dúvidas sobre Planos de Saúde conosco. É um serviço gratuito, criado para auxiliar você no que for preciso. Envie sua mensagem para nossos especialistas e receba informações atualizadas!