Especial Saúde

Conheça os 3 Passos Fundamentais da Dieta da Proteína

O excesso de gordura leva ao ganho de peso e à obesidade, sendo o principal fator de risco a diabetes e doenças cardiovasculares, além de ser a principal causa mundial de mortalidade. Para controlar o peso, alguns estilos alimentares são baseados na ingestão primária de proteínas, a chamada dieta da proteína.

Sabemos que é necessário ingerir carboidratos, proteínas e lipídeos para termos uma nutrição equilibrada. Entretanto, o excesso do consumo destas macromoléculas podem trazer efeitos indesejados à saúde, principalmente os carboidratos e os lipídeos, os quais acabam por se acumular no corpo sob a forma de gordura.

A dieta da proteína oferece muitos benefícios para o emagrecimento e manutenção do peso. Contudo, é importante salientar que os hábitos alimentares devem ser orientados e acompanhados por um nutricionista ou profissional especializado. Não recomenda-se alterar a dieta sem uma supervisão adequada, pois manter a saúde é de extrema importância.

O que é a dieta da proteína?

A dieta da proteína é baseada no corte de grande parte da quantidade de carboidratos, sendo substituídos por proteínas e gorduras. As refeições devem ser compostas por pelo menos 30% de proteína.

Para entendermos melhor como funciona esta dieta, temos que visualizar o seguinte conceito: o balanço de calorias reflete o quanto de peso uma pessoa irá ganhar. Ou seja, se um indivíduo consome mais calorias do que gasta, ele irá engordar, e assim do modo contrário. Portanto, a dieta da proteína visa diminuir o consumo total de calorias. Além disso, propicia um gasto calórico maior decorrente da queima de gordura e metabolização protéica.

Os carboidratos são a principal fonte calórica para o organismo, tendo como produto final a glicose e outros monossacarídeos. Quando não utilizados, estes açúcares se acumulam sob a forma de gordura no corpo.

Com a ingestão de baixas quantidades de carboidratos, o organismo passa a queimar a gordura depositada no corpo, o que leva à diminuição do peso.Logo, a dieta da proteína estimula o uso da gordura armazenada para a produção energética, favorecendo a manutenção da massa corporal do indivíduo.

Além disso, a digestão da proteína requer maior gasto energético em comparação à quebra de carboidratos e lipídeos. Portanto, a dieta da proteína aumenta o metabolismo envolvido na digestão protéica, o que também proporciona aumenta do gasto calórico, evitando assim o armazenamento de calorias e o controle do peso.

O principal processo fisiológico por trás dos benefícios da dieta da proteína é denominado cetose. Na ausência de glicose, a gordura é metabolizada em ácidos graxos e corpos cetônicos, os quais tornam-se as principais fontes de energia para as células. Desta forma, o consumo elevado de proteínas favorece o emagrecimento e a manutenção do peso corporal.

Como fazer a dieta da proteína?

A dieta da proteína é normalmente dividida em 3 fases. Para este exemplo, pegaremos uma dieta de duração de 8 semanas. Na primeira fase, durante as duas primeiras semanas, o objetivo é ingerir cerca de 1000 calorias diárias e realizar leves exercícios. Ao final dos 14 dias, é possível perder de 5 a 9 Kg com segurança.

Durante toda a dieta da proteína, recomenda-se consumir principalmente leite desnatado, ovos, iogurtes, queijos, carnes brancas e vermelhas magras, peixes e whey protein (a proteína isolada do leite). Todos os produtos devem ser de preferência das linhas light.

Na segunda fase, a partir da terceira semana, a pessoa já pode ingerir calorias provenientes de alimentos ricos em carboidratos, como pães, batatas e algumas frutas. Porém, a cada semana, apenas 100 calorias serão adicionadas ao cardápio. Uma vez que esta fase possui 5 semanas, o indivíduo estará consumindo 1500 calorias ao final desta fase. Logo, seu corpo estará bem adaptado à menor ingestão calórica quando comparada ao início da dieta.

A terceira, e última fase, possui o objetivo de manter o peso. Todos os alimentos estão liberados, porém é necessário manter a ingestão das mesmas 1500 calorias. É preciso ter cuidado para não cair em tentações, manter o foco no equilíbrio alimentar, e controlar o peso de modo consciente. É nesta fase que deve-se ter cautela para não cair no famoso efeito sanfona, voltando a engordar novamente.

Portanto, entre em contato com um profissional da saúde e veja se a dieta da proteína é adequada para o seu perfil. Converse sobre este estilo alimentar, adquira os benefícios que ela oferece, e mantenha seu peso e saúde ideais!

Você curtiu esse post?  Deixe seu comentário aqui e compartilhe, com a gente e com nossos leitores a sua opinião.

Referências bibliográficas
Koppel SJ1, Swerdlow RH2. Neuroketotherapeutics: A modern review of a century-old therapy. Neurochem Int, 2017; S0197-0186(17)30227-9.
McPherson PA e McEneny J. The biochemistry of ketogenesis and its role in weight management, neurological disease and oxidative stress. J Physiol Biochem, 2012; 68(1):141-51.
Pesta DH e Samuel VT. A high-protein diet for reducing body fat: mechanisms and possible caveats. Nutr Metab (Lond), 2014; 19;11(1):53.
https://www.express.co.uk/life-style/diets/880501/diet-plan-weight-loss-protein-food.
 https://www.healthline.com/nutrition/high-protein-diet-plan.

Especial Saúde

Adicionar comentário